PUBLICIDADE
ANUNCIE: ☎ 54 3614 2118
FENAE
Estiagem leva 27 cidades a decretarem emergência e causa R$ 1 bilhão de prejuízo no RS
Defesa Civil do estado confirma que esta é uma das piores secas dos últimos tempos.

A falta de chuva castiga as cidades do Sul e da Campanha do Rio Grande do Sul no final de verão. Vinte e sete municípios decretaram situação de emergência em função da estiagem. Em todo o estado, os prejuízos na agropecuária são calculados em R$ 1 bilhão pela Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater).

Em Bagé, na Campanha, o nível dos reservatórios que abastecem os moradores é o pior dos últimos cinco anos. A prefeitura decretou racionamento de água, e a cidade foi dividida em dois setores: metade é abastecida por 12 horas, enquanto a outra fica sem água, e assim consecutivamente.

A situação causa transtornos para a população. "Já amanhecemos sem um pingo d'água. Imagina? Para tomar banho, para trabalhar, para tudo", reclama a dona de casa Tânia Lima da Silva.

Em Hulha Negra, os moradores também sofrem com a falta de água. As famílias que dependem da produção das lavouras perderam tudo.

A Defesa Civil do estado confirma que esta é uma das piores secas dos últimos tempos. "É uma estiagem muito grande. Nos últimos anos a gente não teve um episódio tão severo assim que tem prejudicado muito a agricultura, a pecuária", diz um dos coordenadores da Defesa Sivil, Jardel Oliveira.

Mais do que a agricultura, o abastecimento para o consumo também é afetado. "Estamos preocupados com a questão humana. Tem muitas localidades que não têm mais o que tomar", reforça Jardel.

A Defesa Civil anunciou medidas para tentar amenizar os prejuízos causados pela estiagem. Segundo o chefe da Casa Militar, coronel Alexandre Martins de Lima, estão nos planos da entidade a abertura de poços artesianos, de açudes, construções de cisternas, aquisição de reservatórios e distribuição de água através de uma escala.







Fonte: G1