PUBLICIDADE
ANUNCIE: ☎ 54 3614 2118
POSTO NONOAI
Rio dos Índios - Igreja Assembleia de Deus realiza batismo em águas
O ato foi na tarde do último domingo (24). Sete novos crentes que por meio do ato batismal, deram manifestação pública de sua fé
Assembleia de Deus de Rio dos Índios cumpre ordenança de Jesus Cristo e realiza batismo de novos crentes à véspera do natal. Fonte: IEAD de Rio dos Índios I Fotos: JR / Rádio Rio Fm 




A Igreja Evangélica Assembleia de Deus de Rio dos Índios, realizou no último domingo (24), mais um batismo em águas, sete novos crentes, que, por meio do ato batismal, deram manifestação pública de sua fé, conforme ordenança de Jesus Cristo nas Escrituras Sagradas.

Nos últimos dois anos, segundo a Igreja, foram batizados 35 novos crentes em todo o campo eclesiástico de Rio dos Índios, sendo que só em 2017, foram realizados três batismos. 

De acordo com o Pastor João Resende, presidente da Igreja, em toda a sua trajetória ministerial, ao longo dos 30 anos já batizou mais de 500 irmãos, ele garantiu que é uma satisfação poder evangelizar e ver o resultado do trabalho, quando as pessoas confessam publicamente a sua fé. Segundo ele, para 2018 já tem mais novos convertidos que solicitaram o batismo, só faltando apenas o discipulado para então descerem as águas. A expectativa é de um número ainda maior. 

Perguntado se pretende continuar por muito tempo a realizar essas atividades, o pastor João afirmou que vai seguir exercendo com muita alegria a função pastoral, e em sua totalidade, isto é, evangelizando, discipulando e batizando, até Jesus voltar.


A imagem pode conter: 3 pessoas, pessoas em pé, casamento, criança, atividades ao ar livre e água

 IEAD de Rio dos Índios I Fotos: JR / Rádio Rio Fm 





A imagem pode conter: 3 pessoas, pessoas em pé, atividades ao ar livre e água

                                                                                                         IEAD de Rio dos Índios I Fotos: JR / Rádio Rio Fm 




A imagem pode conter: 4 pessoas, pessoas em pé, casamento, atividades ao ar livre e água

        IEAD de Rio dos Índios I Fotos: JR / Rádio Rio Fm 
                                                                            




A imagem pode conter: 3 pessoas, criança, atividades ao ar livre e água

      IEAD de Rio dos Índios I Fotos: JR / Rádio Rio Fm 




Para o pastor João Resende, o batismo cristão é sagrado, unindo em si os nomes da Trindade. É o único ato exigido que tem de ser feito em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo (Mateus, 28, 18 – 20), os nomes sagrados que são invocados sobre as pessoas que estão sendo batizadas em Jesus Cristo.

No batismo os cristãos primitivos eram imersos e não aspergidos. A palavra batismo, em vocábulo original grego é baptizo, que significa imergir, mergulhar repentinamente, submergir. Todos os estudiosos das Escrituras reconhecem que a imersão era a prática primitiva, e muitas passagens das Escrituras ficariam sem sentido se este fato não for reconhecido.

O batismo, ao lado da Santa Ceia do Senhor, forma as duas ordenanças que Jesus instituiu para a igreja. O batismo, todavia, é a única ordenança que representa tanto o sepultamento quanto a ressurreição de Jesus Cristo. Pouco antes da Sua ascensão, Jesus disse: "Ide, portanto, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo; ensinando-os a guardar todas as coisas que vos tenho ordenado. E eis que estou convosco todos os dias até à consumação do século" (Mateus 28:19-20). Estas instruções especificam que a igreja tem a responsabilidade de ensinar a palavra de Jesus, de fazer discípulos e de batizá-los. Essas coisas devem ser feitas em todos os lugares ("todas as nações") até "à consumação do século." Então, se não por outra razão, o batismo tem importância porque Jesus o ordenou.

Jesus Cristo em seu ministério terreno, utilizou a pratica do batismo como forma de manifestação pública de fé, conforme se constata no capítulo 4 do Livro de João; Ele inclusive foi batizado em águas. Após a sua morte e ressurreição, Jesus institui o batismo como uma ordenança à igreja, o que constitui um mandamento que deve ser observado. Tal ordem está descrita no já citado capítulo 28, versículos 18 à 20 do Evangelho conforme escreveu Mateus.



Após a ascensão de Jesus, os apóstolos seguiram este mandamento, vejamos:


Isso aconteceu quando fostes sepultados com Ele no batismo, e com Ele foram ressuscitados mediante a fé no poder de Deus que o ressuscitou dentre os mortos [Colossenses, 2, 12].

Portanto, fomos sepultados com Ele na morte por meio do batismo, com o propósito de que, assim como Cristo foi ressuscitado dos mortos mediante a glória do Pai, também nós vivamos uma nova vida. Se desse modo fomos unidos a Ele na semelhança da sua morte, com toda a certeza o seremos também na semelhança da sua ressurreição. Pois temos conhecimento de que a nossa velha humanidade em Adão foi crucificada com Ele, a fim de que o corpo sujeito ao pecado fosse destruído, para que nunca mais venhamos a servir ao pecado [Romanos, 6, 4 – 6].

O batismo em água acompanhava a proclamação do evangelho desde o início da missão da igreja. Era um rito da iniciação cristã usado no Novo Testamento para indicar que a pessoa se dedicava plenamente a Jesus Cristo (At 2.38,41). Ao entrarem na água batismal, em nome da Trindade (Mateus, 28, 19), os crentes demonstravam publicamente sua fé diante da comunidade cristã.

O batismo cristão ilustra, de forma cênica, a morte, sepultamento e ressurreição de Cristo. Ao mesmo tempo, ele também ilustra a nossa morte ao pecado e a vida nova em Cristo. Quando o pecador confessa o Senhor Jesus, ele morre para o pecado (Romanos 6:11) e é elevado a uma nova vida (Colossenses 2:12). Estar submerso na água representa a morte para o pecado, e emergir da água representa a vida santa e purificada que segue a salvação. Romanos 6:4 coloca desta forma: "Fomos, pois, sepultados com ele na morte pelo batismo; para que, como Cristo foi ressuscitado dentre os mortos pela glória do Pai, assim também andemos nós em novidade de vida."

Quando acompanhado da fé verdadeira, o batismo tem a ver com a nossa rejeição do pecado e dedicação a Cristo, o que resulta num fluxo contínuo de graça de vida divina sobre nós; isto é, o batismo significa identificação com Cristo na sua morte, sepultamento e ressurreição.

O batismo cristão é o meio pelo qual uma pessoa faz uma profissão pública de fé e discipulado. Nas águas do batismo, uma pessoa diz, sem usar palavras: "confesso a minha fé em Cristo; Jesus limpou a minha alma do pecado, e agora tenho uma nova vida de santificação".

Em resumo, o batismo é um testemunho exterior da mudança interna na vida de um crente. O batismo cristão é um ato de obediência ao Senhor depois da salvação; A Bíblia mostra em muitos lugares que a ordem dos eventos é que 1) uma pessoa crê no Senhor Jesus e 2) então é batizada. Esta sequência é vista em Atos 2:41: "Então, os que lhe aceitaram a palavra foram batizados" (ver também Atos 16: 14-15).

Um novo crente em Jesus Cristo deve desejar ser batizado o mais rápido possível. Em Atos 8, Filipe compartilha “as boas novas de Jesus Cristo" para o eunuco etíope, e "seguindo eles, caminho a fora, chegando a certo lugar onde havia água, disse o eunuco: Eis aqui água; que impede que seja eu batizado?"(Versos 35-36). Imediatamente, eles pararam o carro e Filipe o batizou.

O batismo ilustra a identificação do crente com a morte, sepultamento e ressurreição de Cristo. É isso que tem feito a igreja Assembleia de Deus de Rio dos Índios: prega a mensagem verdadeira do Evangelho da graça e como ato culminatório, batiza em águas todos quantos o aceitam.







 Fonte:  IEAD de Rio dos Índios I Fotos: JR / Rádio Rio Fm