PUBLICIDADE
ANUNCIE: ☎ 54 3614 2118
AL/RS
Familiares de mortos no acidente da TAM devem receber indenização. Tragédia ocorreu em 2007
O acidente com o voo da TAM JJ3054 é considerado a maior acidente aéreo da história do Brasil

Mais de dez anos depois, os familiares de 70 vítimas, entre as 199, do acidente com o voo da TAM irão receber indenização de R$ 30 milhões da empresa Airbus, que é a fabricante do avião. O acordo foi homologado no mês passado e envolveu a Justiça do Rio de Janeiro. As informações foram confirmadas pelo assessor de imprensa voluntário da Associação dos Familiares e Amigos das Vítimas do Vôo TAMJJ3054 (AFAVITAM) e irmão da vítima Mário Gomes, Roberto Corrêa Gomes.

O acidente com o voo da TAM JJ3054 é considerado a maior acidente aéreo da história do Brasil. Ele esclareceu que serão 25 famílias – algumas tinham mais do que uma vítima no voo – que receberão a indenização. Isso porque elas entraram com processo contra a empresa fabricante do avião, a Airbus. Ao mesmo tempo, que outros familiares que fizeram outros acertos, como o acordo com a própria TAM, não estão incluídos.

Do valor, ele destacou ainda que 40% será destinado ao pagamento de honorários com advogados, e, por consequência, depois será repartido entre os familiares. “O assunto indenização sempre foi muito doloroso de ser falado pelos familiares. Tanto que por muito tempo ninguém queria se manifestar. Não tem como você pensar no valor de uma vida. Mas a indenização, que é histórica, tem um valor simbólico, porque sabíamos que ninguém seria preso, como efetivamente ocorreu”, avaliou, sem esconder o quão ainda é delicado o assunto.

Ele lembrou que de todas as famílias das vítimas, apenas uma não fechou acordo ainda e outra manifestou que não queria nenhuma indenização. “É um assunto muito particular e doloroso”, resumiu. Algum tempo após o acidente, incentivadas pelo Ministério Público e Defensoria Pública, Procon de São Paulo, algumas famílias negociaram a indenização pela Câmara de Conciliação.

A tragédia vitimou 199 pessoas, que estavam no voo ou em solo. A aeronave explodiu após não conseguir pousar no aeroporto de Congonhas, em São Paulo, e colidindo contra uma estrutura da própria empresa, que ficava do lado de fora da pista. O voo havia saído de Porto Alegre com destino a São Paulo, no dia 17 de julho de 2007.





Fonte: CP